Plataforma BIM: uma evolução para a construção civil

Em vários países, a plataforma BIM já é uma realidade que tem transformado os resultados da construção civil. No Brasil, ainda é uma tendência em ascensão, que promete ganhar grande incremento a partir do próximo ano, estimulada por um Decreto BIM, que pretende aumentar em 10 vezes o uso da metodologia no país. Neste post entenda o que significa plataforma BIM e o que pode representar dentro do setor construtivo do país. O que é plataforma BIM? O que é BIM? Significa Building Information Modeling ou, na tradução para nossa língua, é Modelagem da Informação da Construção. A plataforma BIM pode ser definida como um ambiente virtual colaborativo ou um recurso de conhecimento compartilhado para integrar todas as disciplinas envolvidas em um projeto construtivo. Está fincada em um tripé: pessoas, processos e tecnologia. A metodologia baseia-se em um modelo único tridimensional, carregado de informações, com todos os elementos de uma obra. Pode ser utilizada desde a fase de projeto, durante o gerenciamento e construção, operações e até mesmo na ocasião da demolição de uma instalação residencial, comercial, industrial e nas obras de infraestrutura. Todas as informações estão integradas no modelo e são acessíveis aos profissionais que fazem parte do projeto construtivo, engloba não só o projeto arquitetônico, mas também todos os projetos complementares. A plataforma BIM vai garantir suporte às áreas de arquitetura, engenharia, construção, gerenciamento de canteiros de obra e operações em todo o ciclo de vida de um projeto, de qualquer porte. Porém, vale dizer que é extremamente vantajosa para os projetos de alta complexidade, que envolvem um grande número de recursos e profissionais, como hospitais, hidrelétricas, campus de universidades, indústrias, etc. Pilar Políticas É importante ressaltar que a plataforma BIM também está amparada no pilar políticas, porque em cada país onde foi implantada necessitou de estímulos governamentais, como decretos, mandatos, grupos de disseminação e muitos fóruns de discussão para que fosse entendido o que essa nova metodologia representa na indústria construtiva. Além do Decreto BIM, para auxiliar na coordenação das iniciativas que vão potencializar as ações de implementação no país, o governo brasileiro também promoveu uma política unificada de disseminação da metodologia por meio da “Estratégia Nacional de Disseminação do BIM” (“Estratégia BIM BR”), promulgada em 17 de maio de 2018 e relançada em 2019 com ajustes nos órgãos componentes do Comitê Gestor. São várias as iniciativas que estão sendo realizadas para um melhor entendimento da metodologia. Entre elas, as bibliotecas BIM. Segundo o site Plataforma BIM BR, da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), em todo o mundo ainda estão sendo desenvolvidas bibliotecas virtuais BIM que “representam um importante canal de viabilização de uma modelagem de informação rica em dados sobre os componentes de projetos, sustentadas pelos esforços conjuntos de iniciativas públicas e privadas para a consolidação e expansão de políticas de adoção do BIM pelo setor de Arquitetura, Engenharia e Construção (AEC)”. A plataforma BIM no Brasil tende a crescer à medida que forem iniciadas as fases do Decreto BIM, a partir de janeiro de 2021. A partir do ano que vem, os Ministérios da Infraestrutura e Defesa já têm orientação de realizar seus projetos arquitetônicos para novas edificações ou reformas utilizando a metodologia. Com o uso orientado no setor público, espera-se que a iniciativa privada também seja mais efetiva na adoção dessa inovação. O que a plataforma BIM permite ao setor? A construção civil sempre lidou com problemas ligados à falta de comunicação e cooperação, conflitos entre as disciplinas em fases adiantadas de construção, descumprimento de prazos, retrabalhos, prejuízos devido a erros de orçamentação, baixa produtividade, ou seja, eficiência nunca foi a palavra-chave da indústria construtiva. Até mesmo a nomenclatura de “indústria” era um tanto paradoxal porque esse segmento nunca teve um processo produtivo ordenado e com resultados otimizados como, por exemplo, a indústria automobilística. Justamente a busca por mais transparência e eficiência levou muitos órgãos e profissionais em torno do mundo a enxergarem a plataforma BIM como uma solução para sanar todas as deficiências próprias do setor construtivo. Com o BIM, além das vantagens de um modelo único tridimensional, é possível entender quanto tempo vai levar para completar e quanto vai custar cada elemento do projeto, qual é o impacto ambiental gerado ao longo do tempo e os até os custos na fase de operações. A Modelagem da Informação da Construção possibilita o desenvolvimento virtual do projeto na fase anterior à construção, erradicando grande parte das ineficiências, problemas e desperdícios que eram comuns na etapa de construção. O surgimento dos novos processos do BIM, que também necessitam de profissionais que façam uma verdadeira mudança de mindset para atuar com um com fluxo de trabalho inteligente, foi o que lançou os holofotes em direção à plataforma. Porém, até mesmo em países onde já está sedimentada ainda é visto como uma tendência em crescimento para resultar em um grande desenvolvimento do setor. Entenda os principais benefícios de adotar a plataforma BIM no setor AECO: Design e visualização aperfeiçoadas Todas as ferramentas disponíveis na plataforma BIM permitem que o design tridimensional seja muito mais aprimorado do que os desenhos dos projetos em linhas. Esse recurso também facilita a visualização e melhor entendimento do projeto tanto pelos profissionais envolvidos como pelos clientes, especialmente porque as simulações vão permitir uma captura exata de como o projeto ficará na pós-construção. Essa melhor visualização facilita as sugestões de mudança antes do início da construção. Comunicação melhorada Com as ferramentas baseadas em armazenamento em nuvem e por ser baseado em um único modelo, os projetos em plataforma BIM permitem o compartilhamento, colaboração e controle das interferências de cada disciplina. Os envolvidos podem checar as informações do projeto e sugerir mudanças necessárias. Sempre que uma das disciplinas realiza uma mudança, todas as outras ficam cientes e podem realizar suas adaptações ou buscarem uma alternativa. Além disso, o fácil acesso da tecnologia também permite o acesso dos empreiteiros aos fluxos de trabalho atualizados, ainda antes da construção. Não é preciso encontrar novas soluções no canteiro de obras. Melhor coordenação e detecção de conflitos Com todas as informações disponíveis e campos de sugestões, fica mais fácil coordenar os fluxos de trabalho e detectar os conflitos entre as disciplinas. O gerenciamento e coordenação de projetos BIM também vai permitir melhorar a produtividade, a orçamentação e o planejamento dentro da construção civil. Dúvidas comuns como “haverá conflito entre uma viga e a instalação de um conduíte elétrico?”, podem ser facilmente sanadas a partir da automatização da detecção de confrontos permitidas ao BIM. Com isso, muitos retrabalhos são evitados, bem como os custos fora do orçamento. Fluxo inteligente e cronograma em dia Embora inspire um tempo mais dedicado na fase de projeto arquitetônico, usar as ferramentas da plataforma BIM na engenharia e construção possibilitam também uma economia de tempo nas próximas etapas do projeto porque eliminam previamente os contratempos na programação da obra. Além de permitir design e documentação simultâneos, combinados com dados das condições do local da obra, facilitam os fluxos de trabalho devido à colaboração aprimorada. Assim, aumenta as chances de término da obra dentro dos prazos. Economia de recursos e custos A plataforma BIM fornece estimativas de custos muito mais confiáveis, que permitem checar os gastos e encontrar maneiras de reduzir custos antes do início da construção. Além de fornecer extração de quantitativos exatos de materiais, também calcula custos com mão de obra associadas aos cronogramas do projeto para orçamentos de obras mais precisos. Permite também escolher materiais mais econômicos, apontar a hora exata para realizar novas compras, simplificar fluxos de trabalho e reduzir erros humanos que podem gerar atrasos e estouro de orçamentos. Canteiros de obras mais seguros Essa comunicação melhorada também torna a construção mais segura, porque todos os riscos apontados podem ser ajustados no projeto. Com os dados todos disponíveis, os construtores podem liderar as equipes com mais segurança, documentando o processo de forma que também atenda às normas de segurança, para futuras avaliações. Mais produtividade Além dos fluxos inteligentes, o BIM também permite elaboração de processos de produção e diagramas de fabricação adequados, que também facilitam a tecnologia de desenvolvimento de construção modular. Com isso, garante-se mais estruturação e detalhamento para ajudar na eficiência, minimizar o custo de mão de obra e outros recursos, além de limitar os desperdícios e continuar dentro do cronograma, permitindo maior produtividade no setor. Mais cuidado com a sustentabilidade ambiental A falta de sustentabilidade também sempre foi um problema a ser resolvido na construção civil, além dos muitos ruídos provocados por uma obra, excesso de uso de recursos como água e energia, sempre houve um grande desperdício de materiais e até mesmo o impacto gerado por derrubadas de áreas verdes no local. Os projetos completos BIM terão todos esses pontos acertados, por exemplo, pode calcular automaticamente os dados úteis para análises ambientais e calcular o uso exato de materiais e recursos, como eletricidade e água; perdas de calor, gestão de resíduos, orientação do edifício, etc. Assim, o BIM pode projetar que uma construção seja mais sustentável já na fase do projeto (e inclusive no pós-construção), ou seja, ao longo do seu ciclo de vida. Também é permitido gerar cortes de carbono, seleção de materiais mais sustentáveis, aproveitamento energético solar e luz natural, etc. Clientes mais satisfeitos Ao entenderem melhor os objetivos dos projetos, a visualização, as simulações e interferências realizadas nos projetos, aprimoramentos no design e terem orçamentos mais precisos, com cronogramas em dia, os clientes ficam muito mais satisfeitos. O BIM é, inclusive, uma possibilidade real de mais rentabilidade para o setor. Pós-graduação em plataforma BIM A metodologia já provou que traz grandes benefícios para o setor construtivo, mas entender o que é a plataforma BIM exige qualificação tanto para implantar nas empresas de arquitetura, engenharia e construtoras como para assumir a mentalidade necessária para trabalhar com ela. Então não basta apenas ler livros sobre plataforma BIM, embora isso também dê mais elementos após um processo de reciclagem de conhecimentos . O ideal é fazer um curso de plataforma BIM com experts, pois trará todos os recursos que o profissional do setor precisa para atuar com a metodologia. Além das muitas vantagens, uma especialização em plataforma BIM vai permitir que o profissional do setor fique mais atrativo para o mercado. O Grupo AJ tem a pós-graduação BIM, que é considerada a mais completa do país.

Em vários países, a plataforma BIM já é uma realidade que tem transformado os resultados da construção civil. No Brasil, ainda é uma tendência em ascensão, que promete ganhar grande incremento a partir do próximo ano, estimulada por um Decreto BIM, que pretende aumentar em 10 vezes o uso da metodologia no país.

Neste post entenda o que significa plataforma BIM e o que pode representar dentro do setor construtivo do país.

O que é plataforma BIM?

O que é BIM? Significa Building Information Modeling ou, na tradução para nossa língua, é Modelagem da Informação da Construção.

A plataforma BIM pode ser definida como um ambiente virtual colaborativo ou um recurso de conhecimento compartilhado para integrar  todas as disciplinas envolvidas em um projeto construtivo. Está fincada em um tripé: pessoas, processos e tecnologia.

A metodologia baseia-se em um modelo único tridimensional, carregado de informações, com todos os elementos de uma obra. Pode ser utilizada desde a fase de projeto, durante o gerenciamento e construção, operações e até mesmo na ocasião da demolição de uma instalação residencial, comercial, industrial e nas obras de infraestrutura.

Todas as informações estão integradas no modelo e são acessíveis aos profissionais que fazem parte do projeto construtivo, engloba não só o projeto arquitetônico, mas também todos os projetos complementares.

A plataforma BIM vai garantir suporte às áreas de arquitetura, engenharia, construção, gerenciamento de canteiros de obra e operações em todo o ciclo de vida de um projeto, de qualquer porte. Porém, vale dizer que é extremamente vantajosa para os projetos de alta complexidade, que envolvem um grande número de recursos e profissionais, como hospitais, hidrelétricas, campus de universidades, indústrias, etc.

Pilar Políticas

É importante ressaltar que a plataforma BIM também está amparada no pilar políticas, porque em cada país onde foi implantada necessitou de estímulos governamentais, como decretos, mandatos, grupos de disseminação e muitos fóruns de discussão para que fosse entendido o que essa nova metodologia representa na indústria construtiva.

Além do Decreto BIM, para auxiliar na coordenação das iniciativas que vão potencializar as ações de implementação no país, o governo brasileiro também promoveu uma política unificada  de disseminação da metodologia por meio da “Estratégia Nacional de Disseminação do BIM” (“Estratégia BIM BR”), promulgada em 17 de maio de 2018 e relançada em 2019 com ajustes nos órgãos componentes do Comitê Gestor.

São várias as iniciativas que estão sendo realizadas para um melhor entendimento da metodologia. Entre elas, as bibliotecas BIM.

Segundo o site Plataforma BIM BR, da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial),  em todo o mundo ainda estão sendo desenvolvidas bibliotecas virtuais BIM que “representam um importante canal de viabilização de uma modelagem de informação rica em dados sobre os componentes de projetos, sustentadas pelos esforços conjuntos de iniciativas públicas e privadas para a consolidação e expansão de políticas de adoção do BIM pelo setor de Arquitetura, Engenharia e Construção (AEC)”.

A plataforma BIM no Brasil tende a crescer à medida que forem iniciadas as fases do Decreto BIM, a partir de janeiro de 2021. A partir do ano que vem, os Ministérios da Infraestrutura e Defesa já têm orientação de realizar seus projetos arquitetônicos para novas edificações ou reformas utilizando a metodologia. Com o uso orientado no setor público, espera-se que a iniciativa privada também seja mais efetiva na adoção dessa inovação.

O que a plataforma BIM permite ao setor?

A construção civil sempre lidou com problemas ligados à falta de comunicação e cooperação, conflitos entre as disciplinas em fases adiantadas de construção, descumprimento de prazos, retrabalhos, prejuízos devido a erros de orçamentação, baixa produtividade, ou seja, eficiência nunca foi a palavra-chave da indústria construtiva.

Até mesmo a nomenclatura de “indústria” era um tanto paradoxal porque esse segmento nunca teve um processo produtivo ordenado e com resultados otimizados como, por exemplo, a indústria automobilística.

Justamente a busca por mais transparência e eficiência levou muitos órgãos e profissionais em torno do mundo a enxergarem a plataforma BIM como uma solução para sanar todas as deficiências próprias do setor construtivo.

Com o BIM, além das vantagens de um modelo único tridimensional, é possível entender quanto tempo vai levar para completar e quanto vai custar cada elemento do projeto, qual é o impacto ambiental gerado ao longo do tempo e os até os custos na fase de operações.

A Modelagem da Informação da Construção possibilita o desenvolvimento virtual do projeto na fase anterior à construção, erradicando grande parte das ineficiências, problemas e desperdícios que eram comuns na etapa de construção.

O surgimento dos novos processos do BIM, que também necessitam de profissionais que façam uma verdadeira mudança de mindset para atuar com um com fluxo de trabalho inteligente, foi o que lançou os holofotes em direção à plataforma.

Porém, até mesmo em países onde já está sedimentada ainda é visto como uma tendência em crescimento para resultar em um grande desenvolvimento do setor. Entenda os principais benefícios de adotar a plataforma BIM no setor AECO:

Design e visualização aperfeiçoadas

Todas as ferramentas disponíveis na plataforma BIM permitem que o design tridimensional seja muito mais aprimorado do que os desenhos dos projetos em linhas.

Esse recurso também facilita a visualização e melhor entendimento do projeto tanto pelos profissionais envolvidos como pelos clientes, especialmente porque as simulações vão permitir uma captura exata de como o projeto ficará na pós-construção.

Essa melhor visualização facilita as sugestões de mudança antes do início da construção.

Comunicação melhorada

Com as ferramentas baseadas em armazenamento em nuvem e por ser baseado em um único modelo, os projetos em plataforma BIM permitem o compartilhamento, colaboração e controle das interferências de cada disciplina.

Os envolvidos podem checar as informações do projeto e sugerir mudanças necessárias. Sempre que uma das disciplinas realiza uma mudança, todas as outras ficam cientes e podem realizar suas adaptações ou buscarem uma alternativa.

Além disso, o fácil acesso da tecnologia também permite o acesso dos  empreiteiros aos fluxos de trabalho atualizados, ainda antes da construção. Não é preciso encontrar novas soluções no canteiro de obras.

Melhor coordenação e detecção de conflitos

Com todas as informações disponíveis e campos de sugestões, fica mais fácil coordenar os fluxos de trabalho e detectar os conflitos entre as disciplinas.

O gerenciamento e coordenação de projetos BIM também vai permitir melhorar a produtividade, a orçamentação e o planejamento dentro da construção civil.

Dúvidas comuns como “haverá conflito entre uma viga e a instalação de um conduíte elétrico?”, podem ser facilmente sanadas a partir da automatização da detecção de confrontos permitidas ao BIM.

Com isso, muitos retrabalhos são evitados, bem como os custos fora do orçamento.

Fluxo inteligente e cronograma em dia

Embora inspire um tempo mais dedicado na fase de projeto arquitetônico, usar as ferramentas da plataforma BIM na engenharia e construção possibilitam também uma economia de tempo nas próximas etapas do projeto porque eliminam previamente os contratempos na programação da obra.

Além de permitir design e documentação simultâneos, combinados com dados das condições do local da obra, facilitam os fluxos  de trabalho devido à colaboração aprimorada. Assim, aumenta as chances de término da obra dentro dos prazos.

Economia de recursos e custos

A plataforma BIM fornece estimativas de custos muito mais confiáveis, que permitem checar os gastos e encontrar maneiras de reduzir custos antes do início da construção. Além de fornecer extração de quantitativos exatos de materiais, também calcula custos com mão de obra associadas aos cronogramas do projeto para orçamentos de obras mais precisos. 

Permite também escolher materiais mais econômicos, apontar a hora exata para realizar novas compras, simplificar fluxos de trabalho e reduzir erros humanos que podem gerar atrasos e estouro de orçamentos.

Canteiros de obras mais seguros

Essa comunicação melhorada também torna a construção mais segura, porque todos os riscos apontados podem ser ajustados no projeto.

Com os dados todos disponíveis, os construtores podem liderar as equipes com mais segurança, documentando o processo de forma que também atenda às normas de segurança, para futuras avaliações.

Mais produtividade

Além dos fluxos inteligentes, o BIM também permite elaboração de processos de produção e diagramas de fabricação adequados, que também facilitam a tecnologia de desenvolvimento de construção modular.

Com isso, garante-se mais estruturação e detalhamento para ajudar na eficiência, minimizar o custo de mão de obra e outros recursos, além de limitar os desperdícios e continuar dentro do cronograma, permitindo maior produtividade no setor.

Mais cuidado com a sustentabilidade ambiental

A falta de sustentabilidade também sempre foi um problema a ser resolvido na construção civil, além dos muitos ruídos provocados por uma obra, excesso de uso de recursos como água e energia, sempre houve um grande desperdício de materiais e até mesmo o impacto gerado por derrubadas de áreas verdes no local.

Os projetos completos BIM terão todos esses pontos acertados, por exemplo, pode calcular automaticamente os dados úteis para análises ambientais e calcular o uso exato de materiais e recursos, como eletricidade e água;  perdas de calor, gestão de resíduos, orientação do edifício, etc.

Assim, o BIM pode projetar que uma construção seja mais sustentável já na fase do projeto (e inclusive no pós-construção),  ou seja, ao longo do seu ciclo de vida. Também é permitido gerar cortes de carbono, seleção de materiais mais sustentáveis, aproveitamento energético solar e luz natural, etc.

Clientes mais satisfeitos

Ao entenderem melhor os objetivos dos projetos, a visualização, as simulações e interferências realizadas nos projetos, aprimoramentos no design e terem orçamentos mais precisos, com cronogramas em dia, os clientes ficam muito mais satisfeitos. O BIM é, inclusive, uma possibilidade real de mais rentabilidade para o setor. 

Pós-graduação em plataforma BIM

A metodologia já provou que traz grandes benefícios para o setor construtivo, mas entender o que é a plataforma BIM exige qualificação tanto para implantar nas empresas de arquitetura, engenharia e construtoras como para assumir a mentalidade necessária para trabalhar com ela. 

Então não basta apenas ler livros sobre plataforma BIM, embora isso também dê mais elementos após um processo de reciclagem de conhecimentos .

O ideal é fazer um curso de plataforma BIM com experts, pois trará todos os recursos que o profissional do setor precisa para atuar com a metodologia. 

Além das muitas vantagens, uma especialização em plataforma BIM vai permitir que o profissional do setor fique mais atrativo para o mercado.

O Grupo AJ tem a pós-graduação BIM, que é considerada a mais completa do país.

Área do Aluno

Selecione uma opção abaixo