Projeto arquitetônico em BIM: o futuro já chegou!

Projeto arquitetonico em BIM o futuro ja chegou

Papéis vegetais e pranchetas sempre fizeram parte da vida dos profissionais da arquitetura. Depois da era dos softwares, esse cenário mudou um pouco, mas hoje o projeto arquitetônico em BIM é muito superior a toda evolução que já houve no setor.

O BIM (Building Information Modeling, ou Modelagem da Informação da Construção) é muito mais que um software, é uma metodologia de trabalho colaborativo, que integra os pilares pessoas, tecnologia e processos; e que tem facilitado muito a criação e gestão dos arquitetos. 

Entenda porque a arquitetura está no meio da maior transformação já ocorrida desde a chegada dos computadores.

O que é projeto arquitetônico em BIM?

Um projeto arquitetônico nada mais é que a representação gráfica de uma obra de arquitetura, com notas e especificações; pode ser um projeto arquitetônico residencial, um edifício, um hospital ou até obras de infraestrutura, como pontes. 

Já um projeto arquitetônico em BIM tem a mesma definição somando a modelagem 3D da informação. Dentro da sigla BIM, a palavra informação tem importância fundamental.

A metodologia BIM permite aplicabilidade em todo o ciclo de vida das edificações, porque garante suporte aos arquitetos durante todo o processo de design, ou seja, durante toda as as etapas de um projeto arquitetônico, do desenvolvimento, concepção e execução.

A ideia aparentemente é bem simples: o BIM traz um único modelo digital em 3D de uma construção, que vai servir para o trabalho de todos os profissionais envolvidos na cadeia construtiva, dos arquitetos aos construtores, passando por engenheiros de infraestrutura, ambientais, consultores, etc.

Mas é importante saber que o processo em BIM começa sempre dentro do escritório de arquitetura.

Isso significa que esse projeto arquitetônico em 3D passa por uma integração multidisciplinar de dados do projeto, que agrega todas as informações pertinentes a cada fase.

O que vai resultar dessa integração é um banco de dados composto pelo modelo tridimensional completo, composto por todas as propriedades definidoras de seus componentes, materiais e características específicas, além de:

  • Ciclo de Manutenção;
  • Parâmetros para levantamento de quantidades e custos;
  • Análises acústicas, energéticas, estruturais e conformidade com legislação e normas, etc

Com isso, o projeto arquitetônico em BIM vai permitir a criação de simulações virtuais que são realmente semelhantes ao que vai virar um modelo real, com um  processo organizado e estruturado, permitindo aos inúmeros participantes de uma obra fazer suas interações no mesmo modelo, proporcionando que as interferências sejam automaticamente atualizadas.

Qual é a expectativa para uso do BIM?

Segundo o Instituto Americano de Arquitetos mais da metade de todas as práticas de arquitetura nos Estados Unidos já usam o BIM. De acordo com informações da Autodesk, de 2013 a 2014, houve um crescimento de 400% na adoção da metodologia. A expectativa é que em pouco tempo, o uso seja de 100% de todos os profissionais e empresas da cadeia construtiva em todo país.

Mas aqui no Brasil não será diferente, porque um decreto governamental já estipulou prazos para uso obrigatório do BIM, especialmente para as obras públicas. Isso significa que o crescimento do uso do BIM é irrefreável.

O decreto 9.377, publicado em 17 de maio de 2018, com alterações sofridas em 2019, determinou que, por meio da Estratégia BIM BR, alguns projetos-pilotos já trabalhem obrigatoriamente com a metodologia BIM.

O primeiro prazo é 2021, que obriga que esses  projetos do setor público sejam realizados em BIM. Já em 2024, que é o segundo prazo, haverá uma obrigatoriedade de compatibilização, planejamento e orçamento em BIM, e por fim, em 2028, será necessário fechar o ciclo com a área de manutenção e As-built.

É preciso mais qualificação dos profissionais

Essa modernidade, que já está caminhando a passos largos no país, promete fazer grandes transformações e proporcionar imensas melhorias no setor construtivo, desde os resultados das obras, em questões de estética e segurança, como na fase anterior de redução dos custos.

Em um país como o Brasil, com suas dimensões continentais, o BIM servirá para modernizar intensamente uma indústria que é considerada uma das mais importantes do mundo, criando negócios na ordem de mais de trilhões de dólares anuais em todo o planeta.

É por isso que os arquitetos e profissionais da cadeia construtiva precisam investir em qualificação em BIM o quanto antes, como uma pós-graduação em BIM, porque muito em breve, seja para obras públicas ou privadas, essa exigência será um fato.

Quem não souber trabalhar com essa nova plataforma, vai ficar de fora do mercado.

Além disso, como a implantação do BIM exige uma certa complexidade, as empresas também precisam investir o quanto antes nesse processo.

Para começar, a primeira dica é apostar em treinamentos com todos os profissionais ligados à cadeia construtiva da organização.

Projeto arquitetonico em BIM o futuro ja chegou

Como fazer um projeto arquitetônico em BIM?

O BIM promoveu uma evolução incrível para a Arquitetura e Urbanismo, porque com essa metodologia, a maneira como se elabora um projeto arquitetônico é gritantemente diferente do tempo das pranchetas.

O projeto arquitetônico em BIM ganha melhor decisão de design, sustentabilidade e desempenho da construção ao longo do ciclo de vida do projeto.

Utilizando a metodologia, ao invés de desenhar linhas, os arquitetos trabalham com montagem de objetos tridimensionais inteligentes, ou seja, geometrias.

Os projetos arquitetônicos com modelagem BIM podem incluir produtos e até materiais reais, que serão incorporados à geometria, características e custos do modelo, ou seja, em todas as etapas da obra.

Essas possibilidades geram um grande aumento de eficiência e produtividade. Só para se ter ideia, quando um objeto é retirado de um pavimento no projeto arquitetônico completo de um edifício, vai sumir automaticamente da planta, do corte e do quantitativo.

Isso significa que sejam projetos arquitetônicos de casas, edificações comerciais ou industriais e obras de infraestrutura, quando elaborados em BIM, permitem um desenvolvimento muito mais realista, que pode sofrer ajustes de forma muito fácil, conforme a necessidade dos clientes de cada arquiteto.

As edificações também ganham muito mais eficiência e são projetadas para durar muito mais. Portanto, se houver alguma alteração de uso e necessidade de reforma, com o BIM, será possível saber qual é a viabilidade da obra para o novo uso.

Mais valorização profissional

Os arquitetos também terão uma grande valorização de seu trabalho, porque não ficarão sujeitos à concorrência desleal de leigos que conseguem usar programas de desenho arquitetônico e se arriscam na elaboração dos projetos.

Os profissionais que usam essa plataforma tecnológica precisam entender muito de arquitetura, ter noção exata dos parâmetros, critérios e propriedades para a criação de cada projeto. Isso quer dizer que a apresentação de projeto arquitetônico com essa tecnologia é para os profissionais do setor.

Ferramentas BIM para os projetos arquitetônicos

Diversas ferramentas permitem interação em BIM para melhorar ainda mais a vida dos arquitetos durante a criação de um projeto arquitetônico, um dos mais populares é o Revit, mas há também outros, como Graphisoft Archicad, Nemetschek Allplan, Tekla BIMSight e Bentley AECOSim.

Muitas desses softwares vão permitir integração entre disciplinas, compatibilizações com o BIM, análises de qualidade de modelo e atendimento às normas.

Conclusão

Pode ser até um grande desafio, mas a partir de já, vai ficar muito fácil para um arquiteto decidir se vai querer apresentar só projeto arquitetônico em BIM. Basta perguntar se ele quer projetos com mais qualidade e flexibilidade, com mais rapidez de elaboração e informações ou custos mais baixos e mais controle. Com essas possibilidades, quem não iria querer?

Área do Aluno

Selecione uma opção abaixo