Projeto executivo na arquitetura: como o BIM otimiza o processo?

O projeto executivo na arquitetura visa simplificar a execução da obra, ajudar no entendimento dos problemas que possam surgir e também quantificar os custos, bem como especificar materiais que devem ser utilizados, para evitar retrabalhos, entre outros detalhamentos. É uma etapa do projeto arquitetônico, que deve ter início junto com a concepção da obra para produzir um fluxo contínuo.  Entenda mais sobre o projeto executivo arquitetura passo a passo neste texto. O que é projeto executivo arquitetura?        O projeto executivo faz parte do projeto arquitetônico, que é composto por estudo preliminar, anteprojeto, projeto legal e o projeto executivo. Essa última etapa vai reunir todos os elementos que são imprescindíveis para a execução completa da obra sob o ponto de vista arquitetônico. O projeto executivo será essencial para o início da obra, porque é nele que constam todas as informações e detalhamentos necessários para os cálculos estruturais, instalações hidráulicas ou elétricas, etc. No projeto executivo de arquitetura vão constar levantamento de informações apresentadas pelo cliente para atender aos objetivos do projeto; dados de pesquisa, como as informações topográficas e outros dados técnicos; propostas de soluções estéticas e funcionais; etc. Esse projeto é entregue em pranchas, com todos os desenhos técnicos que são necessários para o canteiro de obras e também aos demais profissionais envolvidos para que seja realizada a compatibilização de projetos. O projeto executivo bem elaborado e claro permite que os dados apresentados produzam um fluxo de trabalho sem conflitos do design à construção, garantindo um melhor entendimento em todas as fases, vai servir tanto em etapas de infraestrutura como em acabamentos como a paginação de piso. Além das exigências que devem ser cumpridas no local onde a obra será edificada,  que muitos conhecem como projeto de prefeitura (projeto legal), a própria Associação Brasileira de Normas Técnicas também  aponta a importância e necessidade do projeto executivo. O projeto executivo de arquitetura da ABNT, determinado pela norma 13.531/95, revela que é necessário gerar um conjunto de informações que sejam suficientes para a perfeita caracterização da obra e dos serviços a serem executados. Pela norma, é necessário um grande detalhamento para a representação de cada etapa da obra, seja para edificações novas ou reformas. Além disso, no projeto executivo na arquitetura não pode haver erros, porque uma falha poderia gerar muitas dores de cabeça em outras fases da obra e um risco imenso de perdas financeiras. Projeto executivo arquitetura: definição da ABNT “Executar o detalhamento de todos os elementos do empreendimento, de modo a gerar um conjunto  de informações suficientes para a perfeita caracterização da obra/serviços a serem executadas, bem como a avaliação dos custos, métodos construtivos, e prazos e execução. Executar o detalhamento de todos os elementos do empreendimento e incorporar os detalhes necessários de produção dependendo do sistema construtivo. O resultado deve ser um conjunto de informações técnicas claras e objetivas sobre todos os elementos, sistemas e componentes do empreendimento. Essa fase se denomina: PE – projeto executivo.” Checklist projeto executivo arquitetura O projeto executivo é o produto final do processo criativo, é a fase mais avançada, no qual todos os estudos preliminares são reavaliados, determinando itens que devem ou não permanecer. Neste momento, já existem também todos os projetos complementares. Com o projeto executivo, o arquiteto já valida o quanto captou do desejo do seu cliente e também do que é necessário para cumprir os objetivos da obra. No escopo do projeto executivo de arquitetura devem constar: Dados de briefing; Levantamento físico e legal do terreno; Plantas baixas; Representações de cada ambiente; Detalhamentos de materiais e componentes que serão utilizados na obra; Elevações; Cortes; Tabelas de áreas; Cálculo de taxa de ocupação; Especificações de execução,  Normas técnicas, etc. Além dessas informações contidas nas várias etapas de um projeto executivo de arquitetura, também é preciso ter um check list do projeto que deve constar no canteiro, com dados como: Maquete (ou representações digitais do BIM); Quadro geral de áreas que serão construídas; Quadro de materiais de acabamento; Orçamento preciso, etc. Arquitetura: projeto executivo com o BIM Já está no DNA da metodologia BIM a possibilidade da elaboração de um projeto executivo na arquitetura bem realizado, porque falar de BIM é também falar de detalhamento. A metodologia, que é amparada pelos pilares tecnologia, processos e pessoas, dá em sua própria sigla (BIM) a devida importância para o item “Informações” (Building Information Modeling), que constam em seus objetos paramétricos.  A plataforma BIM permite não só um grande detalhamento em seu modelo único, tridimensional e carregado com banco de dados, mas também uma perfeita interação entre as equipes envolvidas no projeto em todas as fases. Por isso, o BIM é conhecido como um processo inteligente, que permite conceber, projetar, planejar, construir e operar de forma muito mais eficiente. O BIM também permite análises e simulações dinâmicas que vão dar muito mais embasamento ao projeto executivo, porque já geram modelos digitais que são compartilhados com todos os envolvidos na cadeia construtiva.  Só com isso, já elimina as chances de qualquer erro devido ao tamanho fluxo de informações precisas. O BIM também facilita o entendimento do projeto, sejam os clientes ou demais profissionais que estarão envolvidos na obra, devido a um design muito mais aprimorado obtido pelos desenhos digitais tridimensionais. Para dar suporte em cada fase, como a metodologia também tem a tecnologia como um de seus pilares,  diversos softwares foram desenvolvidos para o desenvolvimento de projetos mais eficientes. Os softwares mais utilizados nessa fase de concepção, design e compatibilização de projetos e desenvolvimento do projeto executivo são o Revit e o Archicad.  Ambos apresentam recursos aprimorados para o design arquitetônico, mas também para a modelagem MEP e estrutural, além da apresentação de um fluxo de trabalho inteligente, orçamentação precisa e planejamento aprimorado. Com esses softwares, além da precisão de dados obtidos em cada objeto paramétrico, também é possível fazer a manipulação deles de acordo com a necessidade apresentada nas interações. Quando há qualquer alteração, todo o conjunto será atualizado e compartilhado com todos os envolvidos.  Assim, o projeto executivo na arquitetura estará sempre atualizado a cada novo dado inserido, até que seja finalizado para seguir para a fase de execução. Conclusão O BIM é um protagonista da Construção 4.0, que surgiu como uma forma de facilitar o trabalho de arquitetos e engenheiros, bem como de todos os profissionais envolvidos na cadeia construtiva.  Por isso, elaborar o projeto executivo, que exige uma quantidade imensa de informações, será muito mais produtivo com o uso do BIM. Além de mais produtividade e eficiência geral para os projetos, também oferece melhores resultados financeiros para o setor e menor impacto ambiental.   Vale a pena investir nessa metodologia, que tem sido adotada fortemente na indústria construtiva do mundo inteiro.

O projeto executivo na arquitetura visa simplificar a execução da obra, ajudar no entendimento dos problemas que possam surgir e também quantificar os custos, bem como especificar materiais que devem ser utilizados, para evitar retrabalhos, entre outros detalhamentos.

É uma etapa do projeto arquitetônico, que deve ter início junto com a concepção da obra para produzir um fluxo contínuo. 

Entenda mais sobre o projeto executivo arquitetura passo a passo neste texto.

O que é projeto executivo arquitetura?       

O projeto executivo faz parte do projeto arquitetônico, que é composto por estudo preliminar, anteprojeto, projeto legal e o projeto executivo.

Essa última etapa vai reunir todos os elementos que são imprescindíveis para a execução completa da obra sob o ponto de vista arquitetônico.

O projeto executivo será essencial para o início da obra, porque é nele que constam todas as informações e detalhamentos necessários para os cálculos estruturais, instalações hidráulicas ou elétricas, etc.

No projeto executivo de arquitetura vão constar levantamento de informações apresentadas pelo cliente para atender aos objetivos do projeto; dados de pesquisa, como as informações topográficas e outros dados técnicos; propostas de soluções estéticas e funcionais; etc.

Esse projeto é entregue em pranchas, com todos os desenhos técnicos que são necessários para o canteiro de obras e também aos demais profissionais envolvidos para que seja realizada a compatibilização de projetos.

O projeto executivo bem elaborado e claro permite que os dados apresentados produzam um fluxo de trabalho sem conflitos do design à construção, garantindo um melhor entendimento em todas as fases, vai servir tanto em etapas de infraestrutura como em acabamentos como a paginação de piso.

Além das exigências que devem ser cumpridas no local onde a obra será edificada,  que muitos conhecem como projeto de prefeitura (projeto legal), a própria Associação Brasileira de Normas Técnicas também  aponta a importância e necessidade do projeto executivo.

O projeto executivo de arquitetura da ABNT, determinado pela norma 13.531/95, revela que é necessário gerar um conjunto de informações que sejam suficientes para a perfeita caracterização da obra e dos serviços a serem executados.

Pela norma, é necessário um grande detalhamento para a representação de cada etapa da obra, seja para edificações novas ou reformas.

Além disso, no projeto executivo na arquitetura não pode haver erros, porque uma falha poderia gerar muitas dores de cabeça em outras fases da obra e um risco imenso de perdas financeiras.

Projeto executivo arquitetura: definição da ABNT

“Executar o detalhamento de todos os elementos do empreendimento, de modo a gerar um conjunto  de informações suficientes para a perfeita caracterização da obra/serviços a serem executadas, bem como a avaliação dos custos, métodos construtivos, e prazos e execução. Executar o detalhamento de todos os elementos do empreendimento e incorporar os detalhes necessários de produção dependendo do sistema construtivo. O resultado deve ser um conjunto de informações técnicas claras e objetivas sobre todos os elementos, sistemas e componentes do empreendimento. Essa fase se denomina: PE – projeto executivo.”

ebook oportunidades de negócio em bim

Checklist projeto executivo arquitetura

O projeto executivo é o produto final do processo criativo, é a fase mais avançada, no qual todos os estudos preliminares são reavaliados, determinando itens que devem ou não permanecer. Neste momento, já existem também todos os projetos complementares.

Com o projeto executivo, o arquiteto já valida o quanto captou do desejo do seu cliente e também do que é necessário para cumprir os objetivos da obra.

No escopo do projeto executivo de arquitetura devem constar:

  • Dados de briefing;
  • Levantamento físico e legal do terreno;
  • Plantas baixas;
  • Representações de cada ambiente;
  • Detalhamentos de materiais e componentes que serão utilizados na obra;
  • Elevações;
  • Cortes;
  • Tabelas de áreas;
  • Cálculo de taxa de ocupação;
  • Especificações de execução, 
  • Normas técnicas, etc.

Além dessas informações contidas nas várias etapas de um projeto executivo de arquitetura, também é preciso ter um check list do projeto que deve constar no canteiro, com dados como:

  • Maquete (ou representações digitais do BIM);
  • Quadro geral de áreas que serão construídas;
  • Quadro de materiais de acabamento;
  • Orçamento preciso, etc.

Arquitetura: projeto executivo com o BIM

Já está no DNA da metodologia BIM a possibilidade da elaboração de um projeto executivo na arquitetura bem realizado, porque falar de BIM é também falar de detalhamento.

A metodologia, que é amparada pelos pilares tecnologia, processos e pessoas, dá em sua própria sigla (BIM) a devida importância para o item “Informações” (Building Information Modeling), que constam em seus objetos paramétricos. 

A plataforma BIM permite não só um grande detalhamento em seu modelo único, tridimensional e carregado com banco de dados, mas também uma perfeita interação entre as equipes envolvidas no projeto em todas as fases.

Por isso, o BIM é conhecido como um processo inteligente, que permite conceber, projetar, planejar, construir e operar de forma muito mais eficiente.

O BIM também permite análises e simulações dinâmicas que vão dar muito mais embasamento ao projeto executivo, porque já geram modelos digitais que são compartilhados com todos os envolvidos na cadeia construtiva. 

Só com isso, já elimina as chances de qualquer erro devido ao tamanho fluxo de informações precisas.

O BIM também facilita o entendimento do projeto, sejam os clientes ou demais profissionais que estarão envolvidos na obra, devido a um design muito mais aprimorado obtido pelos desenhos digitais tridimensionais.

Para dar suporte em cada fase, como a metodologia também tem a tecnologia como um de seus pilares,  diversos softwares foram desenvolvidos para o desenvolvimento de projetos mais eficientes.

Os softwares mais utilizados nessa fase de concepção, design e compatibilização de projetos e desenvolvimento do projeto executivo são o Revit e o Archicad. 

Ambos apresentam recursos aprimorados para o design arquitetônico, mas também para a modelagem MEP e estrutural, além da apresentação de um fluxo de trabalho inteligente, orçamentação precisa e planejamento aprimorado.

Com esses softwares, além da precisão de dados obtidos em cada objeto paramétrico, também é possível fazer a manipulação deles de acordo com a necessidade apresentada nas interações.

Quando há qualquer alteração, todo o conjunto será atualizado e compartilhado com todos os envolvidos. 

Assim, o projeto executivo na arquitetura estará sempre atualizado a cada novo dado inserido, até que seja finalizado para seguir para a fase de execução.

Conclusão

O BIM é um protagonista da Construção 4.0, que surgiu como uma forma de facilitar o trabalho de arquitetos e engenheiros, bem como de todos os profissionais envolvidos na cadeia construtiva. 

Por isso, elaborar o projeto executivo, que exige uma quantidade imensa de informações, será muito mais produtivo com o uso do BIM.

Além de mais produtividade e eficiência geral para os projetos, também oferece melhores resultados financeiros para o setor e menor impacto ambiental.  

Vale a pena investir nessa metodologia, que tem sido adotada fortemente na indústria construtiva do mundo inteiro.

ebook ferramentas que dao suporte ao BIM

Área do Aluno

Selecione uma opção abaixo