Metodologia BIM ou Tecnologia BIM?

Metodologia BIM ou Tecnologia BIM

Metodologia BIM ou Tecnologia BIM?

Termo razoavelmente novo dentro da cadeia produtiva da construção no país, o BIM (Building Information Modeling ou Modelagem da Informação na Construção) ainda gera dúvidas em muitos profissionais da área. É metodologia BIM ou tecnologia BIM?

Se você é arquiteto, projetista, engenheiro ou construtor e quer saber muito mais sobre o assunto, leia esse post até o fim.

BIM: revolução na cadeia produtiva da construção civil

O conceito BIM já existe há mais de 30 anos, um dos pioneiros nesses estudos para a melhoria dos processos construtivos foi o professor Chuck Eastman, do Instituto de Tecnologia da Georgia. Mas, a partir do aprimoramento da tecnologia ano após ano, essa terminologia veio ganhando força, especialmente depois que diversos países vêm utilizando a abordagem de forma bem-sucedida na cadeia produtiva da construção. 

Por ser  caracterizado por uma filosofia integrativa de trabalho, podemos dizer que o BIM é uma metodologia na área da construção civil, baseada em uma tecnologia de projetos em 3D.

Não se trata de um software, mas quem olha apenas as palavras Tecnologia BIM  pode não entender que por trás delas está um conceito muito mais amplo e que é revolucionário dentro do setor.

A metodologia BIM está focada em uma mudança de mindset total na área, que já chegou em outras partes do mundo, vem crescendo no Brasil e não vai parar. Isso porque no 

país, devido à publicação do decreto no. 9.377, de 17 de maio de 2018 — que sofreu atualização em 2019 –, o Governo Federal determinou, por meio da Estratégia BIM BR, prazos para alguns projetos piloto trabalharem, obrigatoriamente, com essa metodologia. O primeiro prazo é 2021, obrigando que os projetos sejam feitos com o BIM. Em 2024, é o segundo prazo, quando  já haverá a obrigatoriedade de compatibilização, planejamento e orçamento em BIM, e por fim, 2028, quando o ciclo completo com a área de manutenção e As-built será fechado.

Quando o Governo torna algo obrigatório para os assuntos envolvendo o setor público, a reação vem em cadeia para o setor privado. Quem não quer ficar de fora dessa tendência, vai precisar ganhar conhecimento e reciclagem.

Grupamento de informações

O BIM é um processo que utiliza a tecnologia para gerar um agrupamento de informações, que serão armazenadas durante o ciclo de vida de uma obra, empreendimento, bairro ou até cidade. Essa metodologia vai facilitar a tomada de decisões, diminuição de erros e redução de custos.

Quem é profissional do setor da construção sabe que, dentro da cadeia produtiva, existem diversas deficiências que acabam por dificultar as interações e processos ligados aos diversos subsetores envolvidos dentro de uma obra.

O uso das diversas tecnologias que existem dentro da Metodologia BIM vai reduzir essas deficiências e proporcionar mais integração entre os envolvidos em um projeto de construção, com processos mais colaborativos e interconectados. 

Ganha-se em diversos aspectos, como, por exemplo, no monitoramento do canteiro de obras às estimativas de tempo e custos,  na manutenção e disposição da construção, no gerenciamento da obra e até mesmo no quesito sustentabilidade.  

Três pilares da Metodologia BIM

Para trabalhar com o conceito integrativo da Metodologia BIM, é preciso investir em 3 pilares que devem caminhar sempre juntos: tecnologia, pessoas e processos. 

É como se fizéssemos uma analogia como uma orquestra, que precisa de todos os instrumentos sendo executados juntos para uma melhor harmonia musical.

Tecnologia

Profissionais da área sabem: a construção civil é uma área de alta complexidade e envolve uma rede tão grande de informações que pode provocar certos “curtos circuitos” quando todos os envolvidos não estão bem integrados.

Para a tecnologia BIM, diversos softwares foram elaborados no sentido de promover trabalho integrativo entre os diversos segmentos dos setores de arquitetura e engenharia. Alguns dos exemplos dentro da área de engenharia e arquitetura são o Revit, o ArchiCAD, o TQS, o QiBuilder, entre outros.

Essa tecnologia vai dar o suporte para operação, equipamentos e programas, segurança e armazenamento de arquivos necessários. Além disso, esses softwares promovem automação e otimização do projeto, manipulando dados para proporcionar a opção de milhares de simulações para todo o ecossistema do empreendimento.

Pessoas

Uma filosofia integrativa de trabalho precisa envolver as pessoas na evolução do processo tecnológico. Todos os profissionais precisam conhecer a metodologia BIM/tecnologia BIM e abrir a mente para fazer uma despedida efetiva de métodos antigos de trabalho.

Todos os interessados nos projetos, como projetistas, fornecedores, construtores, arquitetos, consultores, engenheiros e todos os outros profissionais deverão se adaptar à nova forma de trabalhar, porque a colaboração é um verdadeiro processo no qual precisam aprender a trabalhar juntos em direção a um mesmo objetivo.

Se todos enxergam de uma maneira diferente e observam o seu próprio ponto de vista e necessidade para o projeto, é preciso mostrar que os pontos de vista sobrepostos pela metodologia/tecnologia BIM poderão gerar mais valor ao projeto.

Todos precisam entender que o novo sistema vai proporcionar mais economia, rapidez em cronogramas, cálculo de suprimentos, simulações de possíveis mudanças e mais qualidade técnica.

Esse pilar é importantíssimo porque as diretrizes da nova metodologia vão exigir profissionais preparados para atender o mercado do país, que caminha para um grande desenvolvimento.

Processos

Quando um método inovador surge, novos processos internos e externos para trabalhar com a nova ferramenta também se fazem necessários, não só no que se refere aos processos internos, mas também as empresas envolvidas na cadeia.

A nova premissa exige novos planos, fluxos de trabalho, arquivos, definição de funções, comunicação e informações sejam transmitidas de forma remodelada.

A implementação da metodologia BIM também é complexa e exige um tempo razoável para absorção de seus conceitos. Porém, os processos BIM vão gerar mais eficiência. 

Então, não é possível pensar em introduzir o BIM em uma organização se não for implementada essa reestruturação estratégica.

A introdução dos novos processos, junto com os pilares tecnologia e pessoas, vão afunilar em Procedimentos, Normais e Boas Práticas para documentar e padronizar toda essa nova nova colaboração multidisciplinar.

Conclusão

Ao analisar que todas as obras são diferentes, mas que agora existe uma solução revolucionária para problemas que são comuns dentro do universo da construção, o BIM é praticamente um conhecimento obrigatório para os profissionais da área.

De agora em diante, não é possível estar no mercado sem conhecer essa ferramenta que vai promover uma nova dimensão de ganhos e consciência dentro do setor no nosso país.

Quem souber enxergar longe (e nem precisa ser tão longe assim, porque as provas já estão bem à vista) vai entender que o futuro já chegou com essa nova plataforma.

Área do Aluno

Selecione uma opção abaixo