Currículo de engenheiro: por que vale investir no BIM?

Pelas necessidades atuais do setor AECO, um currículo de engenheiro em que conste o conhecimento no BIM desperta muito a atenção. Saiba mais.

Pelas necessidades atuais do setor AECO, um currículo de engenheiro em que conste o conhecimento no BIM desperta muito a atenção.

A metodologia promove uma verdadeira mudança de mentalidade dos profissionais, o que tem sido um grande fator de modernização para a indústria construtiva.

Currículo de engenheiro: BIM valoriza formação

O  currículo é sempre uma forma para o profissional se apresentar ao mercado. No setor construtivo,  vários  itens são levados em consideração, como  informações verdadeiras e claras, objetivo bem definido e até mesmo atividades extracurriculares, caso seja um currículo de engenheiro civil recém-formado, que ainda não tem experiência.

Mas, além da elaboração bem-feita do documento, há um grande peso para as informações que constam sobre as habilidades e qualificações do profissional (cursos e certificados).

Para o currículo, o engenheiro civil precisa ter habilidades que estão sendo muito valorizadas no mercado moderno da construção, como saber trabalhar em equipe, ter espírito de liderança, saber gerenciar conflitos e mudanças, flexibilidade e capacidade de tomada de decisão.

Além disso, é preciso ter conhecimento em sistemas como o MRP (Material Requirement Planning) ou 5S, que são utilizadas  nas diversas especialidades da engenharia; línguas estrangeiras e tecnologia, e uma qualificação que tem sido pedida nas vagas para engenheiro: o conhecimento em BIM (Building Information Modeling).

O BIM tem sido item muito importante a ser observado no currículo de engenheiro civil e demais especialidades que fazem parte do ecossistema do setor AECO, como os engenheiros elétricos, por exemplo.

O processo BIM vai permitir que o profissional trabalhe de forma mais colaborativa, valorizando o trabalho de equipe, melhor coordenação, compartilhamento de informações, facilitação na tomada de decisões e muito mais eficiência para os projetos. 

Exigência governamental e de mercado

Os projetos com a metodologia da modelagem da informação da construção passam a ter um peso muito grande no mercado da construção civil do Brasil a partir de um Decreto BIM, que estipula que, já a partir de janeiro de 2021, projetos arquitetônicos de alguns ministérios do país passem a usar o BIM em construções novas e reformas.

O decreto 10.306, publicado em 2 de abril deste ano, determina que a metodologia será utilizada inicialmente no setor público, a partir de obras nos Ministérios da Infraestrutura e Defesa. Porém, outros órgãos públicos também estão autorizados a utilizar a metodologia que traz uma série de benefícios para a indústria construtiva, como edificações com melhor desempenho, custo menor, mais rapidez  na fase de desenvolvimento de projetos, cronogramas, orçamentos mais precisos e manutenção predial mais econômica.

Fica o alerta que a metodologia ganha esse peso no setor público, mas certamente resvala no setor privado, de onde vêm muitas empresas de arquitetura, engenharia e construção que farão parte das licitações para as obras públicas.

O que é BIM?

Essa é uma plataforma que envolve os pilares pessoas, processos, tecnologia e políticas no qual todos os envolvidos no projeto de construção ou reforma de um empreendimento trabalham em um único modelo 3D, carregado de informações sobre cada um de seus elementos em um banco de dados.

É importante ressaltar que o BIM não é um software que apresenta um modelo tridimensional, é muito mais que isso: é uma metodologia que envolve fluxo de trabalho inteligente, mais comunicação entre os profissionais, possibilidade de realizar a simulação virtual completa da construção antes da execução física, além de busca  de alternativas mais sustentáveis para o meio ambiente e econômicas. 

Todas as informações servirão às várias especialidades de engenharia que fazem parte do ciclo de vida da obra. 

Porém, vale esclarecer que, apesar de o BIM não ser um software, foram criadas ferramentas que dão suporte  para operacionalização dentro da metodologia,  como o software Revit.

Por isso, quando um contratante observa um currículo de estagiário de engenharia civil ou mesmo de um engenheiro mais experiente que traz o BIM em seus conhecimentos, vê que ele é um profissional que já conhece a nova mentalidade que a metodologia está trazendo para o setor construtivo no mundo inteiro.

Qualificação do BIM para currículo de engenheiro

No Brasil, nem todas as universidades já oferecem o ensino do BIM nos cursos de arquitetura e engenharia. Por isso, muitos profissionais precisam realizar uma pós-graduação na metodologia após se formarem. 

O estudo “Ensino de BIM no Brasil: Análise do Cenário Acadêmico”, elaborado para a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, revela que: “A implementação de BIM no currículo sofre um aumento em sua complexidade pela condição desta tecnologia favorecer a interdisciplinaridade, condição não presente na maioria dos currículos de graduação e tão pouco entre departamentos, uma vez que as instituições, tradicionalmente, não desenvolvem essa prática (MENEZES et al., 2012; ROMCY et al., 2013)”. 

Em outros países, onde o BIM já atua de forma efetiva e trouxe resultados positivos para o setor, a Educação na metodologia já é adotada em muitas universidades.

Por isso, quem quer ter um melhor currículo de engenheiro, precisa buscar essa qualificação, que será o padrão da indústria construtiva do país muito em breve e exigida para as novas vagas de engenharia. 

Conclusão

Então, seja para um currículo para estágio engenharia civil ou mesmo para um profissional que já atuava antes com o CAD e quer (ou precisa) se renovar para aumentar o seu nível de empregabilidade, buscar essa qualificação que tem transformado a indústria construtiva será cada vez mais imprescindível no mercado de trabalho. 

No setor de Educação, o Grupo AJ tem a pós-graduação em BIM, curso Master em Revit, Planejamento e Gestão de Obras em BIM, Planejamento e Compatibilização em Navisworks e Orçamentos de Obras com BIM.

Área do Aluno

Selecione uma opção abaixo