Projeto elétrico: BIM é aliado na eficiência

O BIM é uma metodologia de trabalho colaborativa, baseada em processos, pessoas e tecnologia, que garante melhores resultados em todo o ciclo de vida de uma obra, desde a elaboração do projeto arquitetônico aos complementares, como o projeto elétrico. Como reúne um nível altíssimo de informações coletivas, forma uma base muito consistente para todos os níveis de decisões que precisam ser tomadas no ciclo de vida da obra. Veja mais como esse processo inteligente pode ser utilizado em projetos elétricos industriais, residenciais ou prediais. O que é BIM e quais os seus ganhos? O Building Information Modeling tem levado o setor da construção civil a uma dimensão de digitalização nunca antes vista na cadeia. Envolve a elaboração de um modelo único em geometria, com altíssimo nível de detalhamento, carregado com informações sobre todos os elementos que compõem os projetos arquitetônicos e projetos complementares. Além disso, em seus processos, também traz métodos mais eficientes para os fluxos de trabalho para planejar, projetar, analisar, orçar, executar e gerenciar a construção das edificações. Para arquitetos, é um nível de aperfeiçoamento muito grande no design, mas também garante eficiência para os resultados de todas as outras disciplinas que fazem parte de todas as etapas da obra e além dela, como a manutenção predial. Nesse processo há uma grande interação entre todos os componentes da edificação, que são visualizados por meio de representações gráficas digitais inteligentes, que também podem ser associados a outros gráficos computacionais, atributos, dados e regras paramétricas. Assim, é permitida a compatibilização de projetos de forma muito mais tranquila. Esse sempre foi um momento muito desafiador na indústria da construção. O resultado disso é que em vários países onde o BIM já tem seu uso sedimentado, como Alemanha, Reino Unidos, EUA e Japão, já foram apresentados estudos que garantem que o uso da metodologia ajuda a reduzir erros, desperdícios, retrabalhos, atrasos e até custos. Segundo o relatório Smart Market BIM Research, 75% das construtoras que adotaram a metodologia afirmaram ter um ROI positivo. Como fazer projeto elétrico? O projeto é uma das partes mais importantes da instalação elétrica porque prevê planejamento prévio que vai refletir em tomadas de decisão essenciais. Para um projeto de elétrica, é importante ter em mente uma sequência de necessidades e passos. Em primeiro lugar, envolve analisar o projeto arquitetônico e seus requerimentos. Em todos os projetos complementares e até mesmo no projeto estrutural, tudo começa a partir do projeto arquitetônico. Mas nos projetos elétricos também é preciso promover a separação dos circuitos elétricos, localizar o padrão de energia e o Quadro de Distribuição de Circuitos, inserir a representação da instalação elétrica na planta arquitetônica, a previsão da carga, diagrama dos circuitos, etc. No projeto elétrico é necessária a reunião de todos os elementos do memorial descritivo que vão compor a justificativa do engenheiro elétrico para as soluções encontradas, as especificações e normas e conjunto de plantas baixas elétricas. Não importa se é um projeto elétrico residencial simples ou para obras complexas, se bem elaborado, será essencial porque vai permitir segurança nas instalações e melhor planejamento na execução do sistema elétrico. Com o BIM, o item economia também poderá ser acrescentado. Como funciona o BIM para um projeto elétrico? As muitas características técnicas das operações da engenharia elétrica exigem definição precisa e uma série de complexidades, que podem ser bastante facilitadas a partir da modelagem tridimensional BIM. Com software que suporta a metodologia, é possível criar um projeto elétrico residencial, predial ou um projeto elétrico industrial, contemplando todo o diagrama dos circuitos, conduítes, eletrocalhas, painéis de energia, luminárias, todos os layouts da simbologia elétrica e até mesmo a listagem do material elétrico com quantitativos automáticos. E, evidentemente, toda a descrição dos elementos que vão compor o projeto elétrico. Os desenhos de cada um desses elementos são inteligentes, carregados de informações como fluxo luminoso, rendimento, taxa de ocupação, corrente, tensão e potência, que ficam registrados na biblioteca da ferramenta e vão possibilitar usos mais precisos de seus dados para os projetos elétricos industriais, residenciais e prediais. Embora a coleta de detalhes dos componentes para o banco de dados do BIM demande um certo tempo para o projetista elétrico, esse trabalho também vai reduzir muito o nível de conflitos nas interações necessárias. Anteriormente, o design composto para a coordenação MEP com os desenhos do projeto elétrico Autocad, em 2D, sempre foram geradores de grandes conflitos nas obras. Algumas outras vantagens de usar o BIM em projetos elétricos: Permite muito mais colaboração As ferramentas do BIM permitem grande colaboração entre todos os envolvidos na cadeia com informações que podem ser compartilhadas em um formato aberto, conhecido como OpenBIM. Essas informações podem ser conhecidas devido à exportação e importação dos projetos pelos arquivos no formato IFC (Industry Foundation Classes). Assim, conflitos são resolvidos já nas fases essenciais da decisão. Melhor visualização As ferramentas do BIM também permitem a geração de desenhos precisos de todos os elementos do projeto elétrico. Assim, há um melhor entendimento dos projetos elétricos residenciais, prediais ou industriais. Alterações sincronizadas Em qualquer projeto, seja o arquitetônico ou qualquer um dos complementares, as alterações representam um verdadeiro terror para construtores porque, antes do BIM, poderiam provocar erros imensos no meio da obra ou ao final da obra. Em projetos elétricos, a alteração em um único elemento do sistema pode modificar níveis de tensão e correntes que podem prejudicar o circuito inteiro. Já com a metodologia, a atualização automatizada dos detalhes dos projetos vai permitir novas simulações que vão atingir de forma segura todas as várias etapas do projeto elétrico, desde a orçamentação e quantitativos ao desempenho do sistema. Conclusão Fazer um projeto elétrico predial, residencial ou industrial em BIM vai permitir que o engenheiro elétrico tenha uma visão muito mais precisa sobre as possibilidades de execução das soluções encontradas. Então, seja para a elétrica residencial ou de projetos de grande complexidade trabalhar com essa metodologia trará muito mais segurança de bons resultados. A implantação do BIM na indústria construtiva pode trazer alguns desafios em um primeiro momento, mas o retorno é realmente positivo para todo o setor AECO. Inclusive, empresas e profissionais precisam ficar atentos ao uso da metodologia, que tende ser cada vez mais presente no país, a partir de um decreto governamental que já coloca todos as atenções para o BIM a partir de 2021.

O BIM é uma metodologia de trabalho colaborativa, baseada em processos, pessoas e tecnologia, que garante melhores resultados em todo o ciclo de vida de uma obra, desde a elaboração do projeto arquitetônico aos complementares, como o projeto elétrico.

Como reúne um nível altíssimo de informações coletivas,  forma uma  base muito consistente para todos os níveis de decisões que precisam ser tomadas no ciclo de vida da obra.  Veja mais como esse processo inteligente pode ser utilizado em projetos elétricos industriais, residenciais ou prediais.

O que é BIM e quais os seus ganhos?

O Building Information Modeling tem levado o  setor da construção civil a uma  dimensão  de digitalização nunca antes vista na cadeia. Envolve a elaboração de um modelo único em geometria, com altíssimo nível de detalhamento, carregado com informações sobre todos os elementos  que compõem os projetos arquitetônicos e  projetos complementares.

Além  disso, em  seus processos, também  traz métodos mais eficientes para os fluxos de trabalho para planejar,  projetar, analisar, orçar,  executar e gerenciar a construção das edificações.

Para arquitetos, é um nível de aperfeiçoamento muito grande no design, mas também garante eficiência para os resultados de  todas as outras disciplinas que fazem parte de todas as etapas da obra e além dela,  como a manutenção predial.

Nesse processo há uma grande interação entre todos os componentes da edificação,  que são visualizados por meio de representações gráficas digitais inteligentes, que também podem ser associados a outros gráficos computacionais, atributos, dados e regras paramétricas. Assim, é permitida a compatibilização de projetos de forma muito mais tranquila. Esse sempre foi um momento muito desafiador na indústria da construção.

O resultado disso é que em vários países onde o BIM já tem seu uso sedimentado, como Alemanha, Reino Unidos, EUA e Japão, já foram apresentados estudos que garantem que o uso da metodologia ajuda a reduzir erros, desperdícios, retrabalhos, atrasos e até custos. 

Segundo o relatório Smart Market BIM Research, 75% das construtoras que adotaram a metodologia afirmaram ter um ROI positivo.

Como fazer projeto elétrico?

O projeto é uma das partes mais importantes da instalação elétrica porque prevê planejamento prévio que vai refletir em tomadas de decisão essenciais. Para um projeto de elétrica, é importante ter em mente uma sequência de necessidades e  passos.

Em primeiro lugar,  envolve analisar o projeto arquitetônico e seus requerimentos. Em todos os projetos complementares e até  mesmo no projeto  estrutural, tudo começa a partir  do projeto arquitetônico.

Mas nos projetos elétricos também é preciso promover a separação dos  circuitos elétricos,  localizar o padrão  de energia e o Quadro de Distribuição de Circuitos, inserir a representação  da instalação elétrica na planta  arquitetônica, a previsão da carga,  diagrama dos circuitos, etc.

No projeto elétrico é necessária  a reunião de todos os elementos do memorial descritivo que vão compor a justificativa do engenheiro elétrico para as soluções encontradas, as especificações  e normas e conjunto de plantas baixas elétricas.

Não importa se é um projeto elétrico residencial simples ou para obras complexas, se bem elaborado, será essencial porque vai permitir segurança nas instalações e melhor planejamento na execução do sistema elétrico. Com o BIM, o item economia também poderá ser acrescentado.

Como funciona o BIM para um projeto elétrico?

As muitas características técnicas das operações da engenharia elétrica exigem definição precisa e uma série de complexidades, que podem ser bastante facilitadas a  partir da modelagem tridimensional BIM.

Com software que suporta a metodologia, é possível criar um projeto elétrico residencial, predial ou um projeto elétrico industrial, contemplando todo o diagrama dos circuitos, conduítes, eletrocalhas, painéis de energia, luminárias, todos os layouts da simbologia elétrica e até mesmo a listagem do material elétrico com quantitativos automáticos. E,  evidentemente, toda a descrição  dos elementos que vão compor o projeto elétrico.

Os desenhos de cada um desses elementos são inteligentes, carregados de informações como fluxo luminoso, rendimento, taxa de ocupação, corrente, tensão e potência, que ficam registrados na biblioteca da ferramenta e vão possibilitar usos mais precisos de seus dados para os projetos elétricos industriais, residenciais e prediais.

Embora a coleta de detalhes  dos componentes para o banco de dados do BIM demande  um certo tempo para o projetista elétrico, esse trabalho  também vai reduzir muito o nível de conflitos nas interações necessárias. Anteriormente, o design composto para a coordenação MEP com os desenhos do projeto elétrico Autocad, em 2D, sempre foram geradores de grandes conflitos nas obras. 

Algumas outras vantagens de usar o BIM em projetos elétricos:

Permite muito mais colaboração

As ferramentas do BIM permitem grande colaboração entre todos os envolvidos na cadeia com informações que podem ser compartilhadas em um formato aberto, conhecido como OpenBIM. Essas informações podem ser conhecidas devido à exportação e importação dos projetos pelos arquivos no formato IFC (Industry Foundation Classes).

Assim, conflitos são resolvidos já nas fases essenciais da decisão.

Melhor visualização

As ferramentas do BIM também permitem a geração de desenhos precisos de todos os elementos do projeto elétrico. Assim, há um melhor entendimento dos projetos elétricos residenciais, prediais ou industriais.

Alterações sincronizadas

Em qualquer projeto, seja o arquitetônico ou qualquer um dos complementares, as alterações representam um verdadeiro terror para construtores porque, antes do BIM, poderiam provocar erros imensos no meio da obra ou ao final da obra. 

Em projetos elétricos, a alteração em um único elemento do sistema pode modificar níveis de tensão e correntes que podem prejudicar o circuito inteiro.

Já com a metodologia, a atualização automatizada dos detalhes dos projetos vai permitir novas simulações que vão atingir de forma segura todas as várias etapas do projeto elétrico, desde a orçamentação e quantitativos ao desempenho do sistema.

Conclusão

Fazer um projeto elétrico predial, residencial ou industrial em BIM vai permitir que o engenheiro elétrico tenha uma visão muito mais precisa sobre as possibilidades de execução das soluções encontradas.

Então, seja para a elétrica residencial ou de projetos de grande complexidade trabalhar com essa metodologia trará muito mais segurança de bons resultados.

A implantação do BIM na indústria construtiva pode trazer alguns desafios em um primeiro momento, mas o retorno é realmente positivo para todo o setor AECO. Inclusive, empresas e profissionais precisam ficar atentos ao uso da metodologia, que tende ser cada vez mais presente no país, a partir de um decreto governamental que já coloca todos as atenções para o BIM a partir de 2021.

Área do Aluno

Selecione uma opção abaixo